O Apogeu de Miss Jean Brodie

Muriel Spark



Miss Jean Brodie é uma professora heróica. Romântica, heróica, cómica e trágica, as suas ideias são avançadas, entrando em conflito com as convenções estabelecidas. E quando decide transformar um grupo de jovens raparigas sob a sua tutela na nata da nata da escola Marcia Blaine, às quais inculca as suas ideias morais e estéticas com o propósito de lhes evitar um futuro de rotina e vulgaridade, ninguém consegue prever o que acontecerá.
Em troca da sua lealdade incondicional, o grupo Brodie é iniciado num mundo de jogos adultos e intrigas que nunca irá esquecer.

Excerto do ensaio de James Wood que acompanha o livro: «O Apogeu de Miss Jean Brodie (1961) é a melhor obra de Muriel Spark, e Jean Brodie é uma das poucas personagens de ficção do pós-guerra que alcançou um estatuto familiar. Mas o que significa amar uma personagem de ficção, e esta em particular? Se perguntarem às pessoas o que “sabem” acerca de Miss Brodie, é provável que elas citem alguns aforismos: “estou no meu apogeu”, “vocês são a nata da nata”, etc. Essas são as expressões famosas de Jean Brodie. Isto é, ninguém “conhece” Miss Brodie. Conhecêmo-la do mesmo modo que as suas alunas a conheciam: como uma colecção de frases feitas, uma actuação retórica, um espectáculo de professora. Na Escola Feminina Marcia Blaine, cada elemento do grupo Brodie é “famoso” por qualquer coisa: Mary Macgregor é famosa por ser estúpida, Rose é famosa pelo sexo, e assim por diante.
Miss Brodie, segundo parece, é famosa pelos seus ditos.»

Sem comentários:

Publicar um comentário